06 razões para o Conselho Fiscal utilizar um portal de governança

Publicado em 12 de Abril de 2021

O uso do portal de governança pelo Conselho Fiscal O uso do portal de governança pelo Conselho Fiscal

O Conselho Fiscal tem uma importante função dentro da estrutura de governança corporativa: a de fiscalizar os atos da administração.

Pode-se dizer que os conselheiros fiscais são os olhos dos acionistas, que acompanham o que acontece de mais relevante nos processos decisórios da organização. Existente somente na legislação societária brasileira e argentina, o Conselho Fiscal precisa desempenhar muito bem o seu papel de órgão fiscalizador, garantindo que os direitos e interesses dos acionistas não sejam violados pela administração.

Por isso, é fundamental que o fluxo de informações e de materiais dentro da estrutura de governança funcione bem, de forma transparente, e que os conselheiros fiscais possam ter acesso a tudo que seja necessário para o melhor desempenho de suas funções.

A seguir, conheça algumas razões para que o Conselho Fiscal utilize um portal de governança e obtenha melhores resultados no exercício de suas atribuições:

01. Acesso rápido

a materiais e informações, por meio de busca indexada com inteligência artificial e Vision (reconhecimento de texto em documentos escaneados). Os conselheiros fiscais também acessam as atas das reuniões, votações eletrônicas e documentos assinados e podem tomar conhecimento de todas as deliberações realizadas;

02. Melhor interatividade com os conselheiros de administração e diretores executivos. Com o portal, a comunicação é bem dinâmica, com a interação em reuniões, documentos e com o uso de recursos como o chat e videoconferência. Tudo é realizado em um único ambiente digital, com acesso a partir de qualquer dispositivo, lugar, horário e com total segurança da informação;

03. Se for permitido pela organização, os conselheiros fiscais podem acessar com antecedência a pauta das reuniões do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva. Assim, este colegiado pode se programar e definir previamente a participação de um conselheiro fiscal na reunião como membro observador, conforme a pauta determinada;

04. Com o uso do portal, o Conselho Fiscal prepara de forma mais rápida e organizada as suas próprias reuniões, com a definição antecipada da agenda e pautas, participantes (no caso de convidados), materiais que serão utilizados, acompanhamento de projetos e análises e outras atividades inerentes aos trabalhos do colegiado;

05. Os conselheiros fiscais têm à disposição uma base de conhecimento dentro da plataforma digital, onde encontram todos os documentos societários e corporativos necessários ao desempenho de suas funções, principalmente políticas organizacionais, código de ética e conduta, estatuto social, regimentos internos dos órgãos colegiados, apólices de seguro, etc. Tudo isso a poucos cliques de distância;

06. Melhor interatividade entre os próprios conselheiros fiscais na preparação, revisão e aprovação do Plano de Trabalho Anual (PTA) do Conselho Fiscal. Em período de pandemia, este recurso se tornou fundamental, pois a interação passou a ser totalmente remota e 100% digital.

 

Publicado por Paulo Lima | Editado por Luiz Gustavo Anjos