Notícias

CEOs estão otimistas sobre a economia global, mas preveem recessão, mostra estudo da KPMG

Publicado em 04 de Janeiro de 2023

Pesquisa CEO Outlook 2022 da KPMG revela que 58% dos líderes globais espera recessão de curta duração para o próximo ano. Pesquisa CEO Outlook 2022 da KPMG revela que 58% dos líderes globais espera recessão de curta duração para o próximo ano.

De acordo com a pesquisa CEO Outlook 2022, realizada pela KPMG, 58% dos líderes globais espera recessão ligeira e de curta duração. Apesar disso, 71% dos líderes globais estão confiantes quanto às perspectivas de crescimento da economia global nos próximos três anos (contra 60% no início de 2022) e quase nove em cada 10 (85%) estão confiantes quanto ao crescimento da sua organização. O estudo questiona mais de 1.300 CEOs oriundos das maiores empresas do mundo.

O mesmo levantamento aponta que a grande maioria dos altos executivos mundiais consultados acreditam que uma recessão irá perturbar o crescimento previsto (73%). No entanto, três quartos (76%) já tomaram medidas de precaução antes de uma recessão iminente

“Estes CEOs já passaram tempos desafiantes: uma pandemia global, tensões geopolíticas, pressões inflacionárias e dificuldades financeiras”, afirma Vitor Ribeirinho, CEO/Chairman da KPMG Portugal. “Adversidades sucessivas que testam a resiliência dos CEOs em todas as áreas de negócio. Embora não seja surpreendente que o clima económico é agora a principal preocupação dos líderes empresariais, é reconfortante assistir aos elevados níveis de confiança entre os líderes executivos nas suas próprias empresas e testemunhar as suas perspectivas de crescimento a longo prazo.” 

No Brasil, o otimismo é ainda maior. Enquanto na amostra global 85% dos líderes estão confiantes ou muito confiantes sobre o crescimento das organizações nos próximos três anos, no contexto brasileiro, esse número chega a 94%

Além disso, mais da metade dos CEOs brasileiros (56%) acredita que a recessão não acontecerá nos próximos 12 meses. Já no grupo global, a grande maioria (86%) dos líderes pensa de maneira contrária, esperando uma recessão no futuro próximo. 

Charles Krieck, Presidente da KPMG no Brasil e na América do Sul, afirma: “o estudo nos mostrou que os CEOs têm sido ágeis para ajustar as estratégias de gestão diante das mudanças, principalmente daquelas relacionadas aos impactos geopolíticos, à crise climática e às demandas tecnológicas. Por isso, estamos cada vez mais resilientes, conectados e fortalecidos.” 

ESG como tendência 

 

A pesquisa mostra que ESG é uma pauta importante para CEOs globais quando se trata de melhorar o desempenho financeiro e impulsionar o crescimento. Ademais, 69% dos executivos observaram uma maior procura por parte dos stakeholders no sentido de uma maior informação e transparência sobre a estratégia de ESG (58% em 2021)

Mais de um terço (38%) dos CEOs afirmam que suas organizações têm grandes desafios para articular uma narrativa convincente sobre o ESG. Quase três quartos dos entrevistados (72%) também acreditam que busca dos stakeholders por ESG vai continuar a acelerar. 

ESG é a abreviação de “Environment, Social & Governance” (Ambiental, Social e Governança, no português). O conceito dessa sigla tem a ver com boas práticas que orientam as empresas a serem mais sustentáveis em questões ambientais, sociais e de Governança corporativa. Conforme levantamento realizado no Google Trendso interesse pelo termo ESG cresceu 1900% em dois anos.   

Deseja receber mais conteúdos a respeito de Governança corporativa, ESG, Compliance, Segurança da Informação e outros temas? Clique no banner abaixo e faça o seu cadastro para receber nossa newsletter gratuita!

Banner com link. Clique e assine a newsletter Atlas para obter acesso gratuito a conteúdos exclusivos em primeira mão!

 

Publicado por Luiz Gustavo Anjos