Governança: 59% das empresas dizem que maior risco está na falta de transparência

Publicado em 25 de Janeiro de 2023

Estudo realizado pela Aberje com patrocínio da Ypê traz dados sobre os maiores riscos de governança nas organizações brasileiras. Estudo realizado pela Aberje com patrocínio da Ypê traz dados sobre os maiores riscos de governança nas organizações brasileiras.

A pesquisa “A Comunicação da Governança nas Organizações no Brasil”, realizada pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) com patrocínio da Ypê e divulgada em 2022, revelou que os maiores riscos de governança corporativa para as organizações consultadas estão na falta de transparência (59%), de clareza na comunicação com os stakeholders (50%) e na demora para divulgar informações relevantes (37%). O estudo abordou 46 empresas, sendo a maioria companhias privadas multinacionais (70%) do Estado de São Paulo (63%), com mais de 10 mil funcionários (52%).

As melhores práticas indicadas pela pesquisa para tornar a comunicação da governança mais eficaz são: a conscientização dos administradores sobre a importância da boa comunicação de governança e a necessidade do seu aprimoramento (67%) e a participação das lideranças e dos gestores da comunicação em fóruns, encontros e comitês de associações especializadas em comunicação organizacional (59%).

Não é de se estranhar que, em relação à clareza da comunicação sobre governança, 89% das empresas afirmaram utilizar uma linguagem acessível e transparente. Por outro lado, 9% das empresas consultadas ainda declararam o uso de linguagem técnica.

O levantamento também revela que a comunicação da governança é feita por uma área específica de governança em 37% das empresas e pela área de Relações com Investidores em 30% das participantes. Em 83% das organizações entrevistadas a responsável pela comunicação da governança é a área de Comunicação Corporativa. O setor de Relações Institucionais está em segundo lugar, com 46%.

Para Hamilton dos Santos, diretor-geral da Aberje, estes dados mostram que as organizações estão interessadas em se inserir nos critérios da estratégia ESG, mas ainda é preciso otimizar a governança e acelerar nestas temáticas. “As empresas têm uma demanda muito grande de ajustarem a sua governança justamente para garantir que os negócios sejam feitos de acordo com as demandas de meio ambiente, do impacto do negócio no meio ambiente e impacto social.”

Outro dado indica qual forma de comunicação com os stakeholders é vista como mais relevante pelas organizações: 57% das empresas consultadas consideram mais importante a comunicação externa da governança, direcionada à comunidade em que está inserida,para a prevenção de crises e projeção de uma imagem de transparência e honestidade. Outros 54% das participantes consideram a comunicação interna da governança mais importante para uma imagem unificada e forte.

Deseja receber mais conteúdos a respeito de Governança corporativa, ESG, Compliance, Segurança da Informação e outros temas? Clique no banner abaixo e faça o seu cadastro para receber nossa newsletter gratuita!

Banner com link. Clique e assine a newsletter Atlas para obter acesso gratuito a conteúdos exclusivos em primeira mão!

 

Publicado por Luiz Gustavo Anjos